FOTOSÍNTESE

Afunda, mostra-te oca!
A pele te toca, toco
De árvore, casca armadura
Toco-te, ternura dura.

Flexível, a fé torna
O ferro, a madeira enverga.
O caule sinuoso donde escorrega
E se esvai a seiva morna.

Pois, que logo floresce
Perdendo a forma
A luz entardece
E a sombra deforma.

Cláudio Guilherme Alves Salla
cc -Some rights

Anúncios

~ por C. Guilherme A. Salla em 20/07/2008.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: