POESIAS TABAGISTAS: hoje, em prosa ilustrada

O cigarro está me matando, aos poucos, devagar, mas não do pulmão (quer dizer, também), e sim  da úlcera  no meu orçamento, supurada, purulenta, a verter, nos sucessivos aumentos  do preço da nicotina, todo meu oxigênio financeiro.

René Magritte

René Magritte

Acho que não vou mais ser capaz de sustentar meu vício, portanto, peço a vocês:

Ajudem-me!

Não gostaria de ter que me sujeitar a isto, mas agora, só me resta o tráfico…

Vou começar passar nicotina, na noite e nas quebradas… fazer um movimento para ver se levanto verbas pro meu CARLTON…

Grisos

Miquel Montlló:Grisos

Prefiro entrar pro crime,  a mudar de marca de cigarro outra vez…

René Magritte (1953)

René Magritte:La trahison des images (1953)

Não quero voltar para o mundo de marlboro, não gostei de lá!

Carlton, porém, o raro prazer, é caro prazer, e, um prazer, meu caro, é “regalo da vida”…

Anúncios

~ por C. Guilherme A. Salla em 06/09/2008.

4 Respostas to “POESIAS TABAGISTAS: hoje, em prosa ilustrada”

  1. salve salve!

  2. Putz! Giuliano! Identifiquei-me com teu Noturno Citadino, gostei especialmente da boa utilização de barra lateral… me deu ideias…

    Saudações Míopes!

  3. já pensou em trabalhar?

  4. Isso é uma proposta de emprego?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: