Festival da Mantiqueira: opiniões impressionistas (II) – Marina de la Riva

marina de la riva 3

O segundo Festival da Mantiqueira não se resume à literatura enquanto expressão artística e cultural. A música, de qualidade, esteve presente desde a primeira edição.

Como relatava na parte I destas impressões, o sábado, que durante a tarde foi de mistério com literatura policial e Edgar Allan Poe, de noite, foi magia, alumbramento e “mariposa”.

Agora, um breve hiato, um momento de suspensão literária para falar de outro de suspensão literal:

marina de la riva

Marina de la Riva é uma deusa na terra!

Os que aqui me leem já sabem de minha queda pela língua espanhola e por interpretes femininas… as duas coisas juntas foram demais para mim…

Marina de la Riva “tem um tufão nos quadris”!

marina de la riva 1

Não fui esperá-la no camarim, não tive coragem. Nem muitas fotos eu tirei, como de costume, fiquei estático, hipnotizado, absorto, enfeitiçado…

É isso, Marina de La Riva é uma feiticeira, Circe que embriaga os homens com seu vinho doce e os faz esquecer do tempo, uma década em minutos…

Cubana, de um lado, brasileira do outro, sem sotaque algum mas carregada da aura e presença latino-caribenha… nem mil mojitos ou dez mil daikiris poderiam me embebedar de tal modo.

Não quero aqui causar ciúmes ou problemas conjugais, mas meu encantamento por divas como Marina e de natureza outra, é uma sensualidade que me entra pelas orelhas e me formiga a cabeça… é erotismo musical.

Seguramente foi o show mais erótico que eu já vi. Ela me seduziu e, no entanto, quando olhava a minha volta, sentia ciúme: ela seduziu a todos.

Marina de La Riva apresentou as canções do seu disco homônimo e ainda incluiu no repertório “Meu mundo caiu” de Maysa… não sei porque, mas naquele instante elas me pareceram parecidas… deve ser por conta da intensidade, da carga dramática, do tom teatral…

marina de la riva 2

A banda (trompete, piano, contrabaixo acústico, percussão, bateria e guitarra), nas palavras de própria musa, não era uma banda, mas “um mar de música”.

Mariposas (borboleta, em espanhol e apelido familiar da diva) voaram no meu estomago…

marina de la riva 4

Amanhã ou, quem sabe domingo, mas, mais provavelmente, segunda ou terça-feira, eu continue…

(continua)

Anúncios

~ por C. Guilherme A. Salla em 06/06/2009.

Uma resposta to “Festival da Mantiqueira: opiniões impressionistas (II) – Marina de la Riva”

  1. […] Festival da Mantiqueira: opiniões impressionistas (II) – Marina de la Riva […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: