HOMENAGEM À CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE (1902 – 1987): POEMA QUE ACONTECEU

 

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

Se o poeta não fosse nascido,quantos poemas não teriam acontecido?

Graças a um poema, um poeta permanece vivo… ainda que já tenha morrido.

Dia desses, li que a estátua do poeta míope de Itabira, sentado num banco na praia de Copacabana, ganhou novos óculos, mais reforçados, pois que eles vêm sendo sistematicamente roubados…

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

O MIOPIA gostaria de se declarar inocente, esclarecendo que todas as acusações que vinculam a linha editorial deste blog aos freqüentes atos de vandalismo sofridos pelo poeta de bronze, são equivocadas e levianas.

O MIOPIA nunca fez apologia às cirurgias corretivas, mas também nunca desabonou o uso de óculos de grau, e que isso fique claro e nítido…

Contudo, é bom salientar que Drummond sempre enxergou muito bem de longe, de perto e de olhos fechados também.

A oftalmologia perde quando não disseca os olhos dos poetas…

Viva, CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE, vivo!

 

POEMA QUE ACONTECEU

Nenhum desejo neste domingo
nenhum problema nesta vida
o mundo parou de repente
os homens ficaram calados
domingo sem fim nem começo.

A mão que escreve este poema
não sabe o que está escrevendo
mas é possível que se soubesse
nem ligasse.

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE in “Alguma Poesia”, 1930.

Anúncios

~ por C. Guilherme A. Salla em 31/10/2010.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: