POEMA ÍNDIO

•24/03/2013 • Deixe um comentário

 

 

Arco

arco    e

arco    e  flecha

arco    e  flecha  e pena

pena   e  flecha

pena   e

pena

Po       e  ma

 

 

.

Cardeal, 23 de março de 2013

.

Guilherme Salla

cc -Some rights

RETROSPECTIVA 2012 EM ESTATÍSTICAS

•31/12/2012 • 1 Comentário

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2012 deste blog.

Aqui está um resumo:

4,329 films were submitted to the 2012 Cannes Film Festival. This blog had 33.000 views in 2012. If each view were a film, this blog would power 8 Film Festivals

Clique aqui para ver o relatório completo

OUTUBRO LITERÁRIO 2012: primavera das letras em Indaiatuba – Programação Completa

•11/10/2012 • 1 Comentário

A literatura passou a ocupar um espaço grande demais em minha vida.

Tão vasto que, se não fosse minha fé em São Demócrito, ariscaria dizer que ela, a literatura, transbordaria pelas minhas tantas outras vidas vindouras a perder de vista.

Mas não sejamos tão transcendentais, o fato é que a literatura nos permite viver estas múltiplas vidas aqui mesmo, no conforto da nossa poltrona, sobre a sombra de uma árvore, no banco de um ônibus, no imediato momento em que abrimos as páginas de um livro.

Quando ler apenas já não bastava, corri de um lado para o outro, de cidade em cidade, atrás de qualquer chance de travar contato com a literatura viva.

Viva! Não mais! Pelo menos na Indaiatuba primaveril, OUTUBRO (é) LITERÁRIO!

OUTUBRO LITERÁRIO, um evento da Secretária Municipal de Cultura sob curadoria compartilhada entre eu, Mônica Kimura e Marina Costa, começa amanhã!

O OUTUBRO LITERÁRIO, mais do que um evento sazonal no calendário cultural da cidade,  pretende se aproveitar da musas da primavera e lançar sementes para uma programação literária permanente, frutos e flores, o ano inteiro.

É Deméter puxando a charrete sob chicote…

São diversas atividade em vários locais de Indaiatuba e para públicos de diferentes idades e perfis, do leitor insipiente ao autor experiente.

Entre elas alguns destaques:

Dia 19 – Sexta-feira – 20h – Local: Câmara Municipal. Entrada gratuita.

ENCONTRO DE AUTORES – Um bate-papo embasado com autores da cena local de Indaiatuba. São poetas e contistas falando sobre sua obra e referências literárias na formação do escritor.

Mediação: Guilherme Salla

Autores convidados:

Marcus Mazieri

Jovem poeta indaiatubano, finalista do Mapa Cultural Paulista 2011 e um dos vencedores do Prêmio Acrísio de Camargo – 2011, figura facilmente encontrável nos eventos culturais da cidade, ativista cultural em diversas frentes. Escoa sua produção literária por diversos blogs na web, entre eles http://opehu.blogspot.com.br/ .

Éber Sander

Contista e cronista de Indaiatuba, suas crónicas são a expressão do lirismo e da miséria humana na cidade. Militante das letras e da leitura, foi finalista do Mapa Cultural Paulista e diversas edições, assim como do Prêmio Acrísio de Camargo do qual também já foi curador. Tem dois livros publicados, “Eu morri faz tempo” (2011); “Perguntas Indiscretas” (2009). Mantém o blogue: http://ebersander.wordpress.com/ .

Emerson Sitta

Poeta ituano de coração indaiatubano, mestre em Literatura e Crítica Literária pela Puc-SP e  em sensibilidade poética pela natureza. Publicou “O Melhor é Sempre” (2008) e outras diversas publicações independentes como “Inédito” (1997) e “ABRA” (1994). Atualmente pode ser lido no blogue REDIGIR:  http://emersonsitta.blog.uol.com.br/

Lalo Arias

Poeta paulistano auto-exilado em Indaiatuba, boêmio inveterado, dono de um estilo áspero e doce, escreve compulsivamente no tempo que lhe sobra. Tem seus trabalhos publicados em importantes revistas literárias, além de ter publicado “Cidade Desaparecida” (2010). Mantém frenética produção de pode ser acompanhada no seu blogue: http://laloarias.blogspot.com.br/

Maria do Céu:

Poetisa, tem em Indaiatuba mais um porto, filha de pais portugueses nasceu em Moçambique, África em 1959. Durante o processo de descolonização, em 1975, a família estabeleceu-se no Brasil, onde vive desde então. Naturalizou-se brasileira em 1999. Na palavras da autora, o livro “Memórias Agridoces do Exílio” (2012), assinado  com pseudônimo Aruângua,  é uma “série de poesias de saudade, onde os temas da perda da identidade cultural e dos afetos de infância são cantados e chorados.” Na rede social: https://www.facebook.com/pages/Mem%C3%B3rias-Agridoces-do-Ex%C3%ADlio/109001245921611

Dia 24 – Quarta-feira – Local: EMEB “Prof. Sergio Mário de Almeida”

Oficina de Literatura Fantástica com Luiz Roberto Guedes.

Aproveitando a Feira Literária Infantil e o fato da competição de Livros Virtuais dos alunos dos 5º anos da rede municipal ter como gênero “contos de suspense e mistério”, chamei para um bate-papo com a molecada o licantropo paulistano, o poeta, compositor, e escritor, Luiz Roberto Guedes.

Participante assíduo das “Rodas de Leitura” do SESC – Campinas, conheci o autor antes de ler sua obra. Do lado de fora do prédio, na rodinha dos fumantes, simpatia e nicotina. Bons sinais de fumaça.

Guedes é mestre, textos ágeis e inteligentes, sua literatura para crianças não subestima seus leitores. No uso brincalhão que o poeta faz da palavra, inicia seu jogo com o leitor que se diverte quando se dá conta que ler é também brincar.

Publicou para pequenos leitores os livros “Planeta bicho um almanaque animal!” – poemas (2011), “Treze Noites de Terror” (Editora do Brasil , 2002), “Meu Mestre de História Sobrenatural” (Nankin, 2008), “O Mamaluco Voador “ (2006), “O Livro das Mákinas Malukas” (2006), “Armadilha para Lobisomem (Editora Cortez, 2005), “Anjos do mar o tesouro da ilha dos golfinhos” (2005) e “Lobo, lobão, lobisomem” [Saraiva, 1997]. Para adultos, é autor de Calendário Lunático — Erotografia de Ana K (Ciência do Acidente), e organizou Paixão por São Paulo, antologia poética paulistana (Terceiro Nome), em homenagem aos 450 anos da cidade. Em parceria com o poeta Claudio Daniel, traduziu poetas de língua hispânica, reunidos na antologia neobarroca Jardim de Camaleões (Iluminuras), e colaborou na antologia poética do cubano José Kozer, Íbis amarelo sobre fundo negro (Travessa dos Editores) e”Alguém para amar no fim de semana”(2010). Sob o pseudônimo de Paulo Flexa, é letrista e parceiro de compositores como Luiz Guedes & Thomas Roth, Beto Guedes, César Rossini , Ronaldo Rayol e Ivaldo Moreira.

Dia 24 – Quarta-feira – 19h às 22h – Local: Centro Cultural Wanderley Peres. Entrada gratuita, público acima de 16 anos.

Oficina de Criação Poética com Edson Cruz.

Edson é um operário da Poesia, tanto no sentido do trato de ourives que dá às palavras, quanto no trabalho homem a homem que trava para divulgação e também na crítica literária, coisas sem as quais esta frágil arte não subsiste. Foi editor chefe e idealizador do Cronópios, sem dúvidas o mais importante portal de literatura da web em língua portuguesa. Atualmente capitaneia o “Musa Rara” (http://www.musarara.com.br/), seu novo projeto na internet.

Autor de “Sambaqui “ – poemas (2011),” Sortilégio” – poemas (2009), “O que é Poesia?” – organização (2010), além da participação em diversas antologias.

Na web: http://sambaquis.blogspot.com.br/

Confira a programação completa:

MIOPIA: Os números de 2011

•02/01/2012 • Deixe um comentário

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos da Ópera de Sydney tem uma capacidade de 2.700 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 33.000 vezes em 2011. Se fosse a sala de concertos, eram precisos 12 concertos egostados para sentar essas pessoas todas.

Clique aqui para ver o relatório completo

POEMAS TRAFICADOS: HOMERO NO MÍNIMO

•27/12/2011 • Deixe um comentário

.

Sabe aquele
poema longo,
derramado
e caudaloso,
extenso
e demorado,
feito leito
fluvial
encharcado
de alma e coração?
Não.
.
 

Cardeal, 26 de setembro de 2011

 
.

Cláudio Guilherme Alves Salla

cc -Some rights

.

Poema traficado DAQUI.

POESIAS TABAGISTAS: FLOR DE OBSESSÃO – NELSON RODRIGUES

•02/11/2011 • Deixe um comentário
nelson rodrigues

Nelson Rodrigues

TRAGA! É NELSON, VAI DE LEVE…

 

“- Gosto do cigarro que me queime a garganta. O fumo suave não passa de um ópio de gafieira.”

(…)

“- No Brasil quem não é canalha na véspera é canalha no dia seguinte. O Otto Lara está certo. O mineiro só é solidário no câncer.”

(…)

“- Os que choram pouco, ou não choram nunca, acabarão apodrecendo em vida.”

(…)

“- Não há ninguém mais bobo do que um esquerdista sincero. Ele não sabe nada. Apenas aceita o que meia dúzia de imbecis lhe dão para dizer.”

(…)

“- A pior forma de solidão é a companhia de um paulista.”

(…)

“- O ser humano está mais para Lucho Gatica do que para Paul Valéry.”

… A FUMAÇA.

Nelson Rodrigues

Nelson Rodrigues

POEMAS TRAFICADOS: EU, NÃO

•29/10/2011 • Deixe um comentário

Surge uma nova categoria no MIOPIA:

o0o

POEMAS TRAFICADOS

powered by DE CHALEIRA

Aqui, trago de lá,

DE CHALEIRA*,

poemas do cultivo quinzenal,

sem pagar nada pra patrão algum…

é tudo legalize, CC** na cabeça.

Afinal, o tal blogue,

nasceu ou não nasceu

numa roda de fumo?

.

* Na verdade, Don MarcoAntônio de Araújo Bueno, o patrão, dono da “boca”, disse que eu poderia levá-los em consignação… tipo “vapor”.

** Creative Commons (não confundir com THC).

.

EU, NÃO

.
 
.
Não ser
Não ser só
Não ser só ser
Não ser só ser do ente
Não ser doente
Não sou.
.
 

Cardeal, 15 de agosto de 2011

 
.

Cláudio Guilherme Alves Salla

cc -Some rights

.

Poema traficado DAQUI.

 
 
 
%d blogueiros gostam disto: